Este vestido mostra o quão frequentemente as mulheres estão sendo tocadas sem seu consentimento

Desde o início do movimento #MeToo, em 2017, inúmeras empresas vêm tentando entrar no assunto e abordar o assédio sexual e/ou o feminismo em suas campanhas publicitárias. Não é surpresa que essas empresas estejam sendo elogiadas por usar a publicidade por uma boa causa. Recentemente, a empresa de bebidas suíça Schweppes associou-se à agência de publicidade brasileira Ogilvy e decidiu trabalhar em sua nova campanha chamada “Dress For Respect”, com o objetivo de lançar luz sobre o assédio sexual de mulheres no Brasil.

‘Dress for Respect’ é um vestido inteligente, projetado com sensores poderosos, que são acionados quando o usuário é tocado

Créditos da imagem: Ogilvy

O vestido inteligente foi feito para sentir e rastrear quando e onde a pessoa que usava o vestido foi tocada. A campanha foi feita para lançar luz sobre a grave questão do assédio sexual e do toque público não consensual.

O vídeo do anúncio é aberto, indicando as estatísticas de 2016 de assédio nas boates do Brasil.

Créditos da imagem: Ogilvy

Afirma que o número impressionante de 86% das mulheres brasileiras foram assediadas em boates. Quanto aos outros tipos de assédio, segundo a Agência Brasil, o assovio é a forma mais comum de assédio às mulheres (77%), seguido de olhar fixo (74%), comentários sexuais (57%) e xingamentos (39%). Além disso, quase metade da população feminina do Brasil passou por contato físico indesejado pelo menos uma vez no ano de 2016.

Mas os homens que foram entrevistados antes do início do experimento ficaram céticos.

Créditos da imagem: Ogilvy

Um homem entrevistado retoricamente pergunta “Quem sairá em uma quinta à noite para apenas dançar?”, Provavelmente sugerindo que as mulheres que vão a boates estão ativamente procurando por um parceiro sexual em vez de apenas querer dançar. O outro homem comenta que ele acha que as mulheres estão “apenas choramingando… sobre tudo!” No entanto, o vídeo que foi filmado depois fala por si. O toque público não consensual ainda é um problema enorme, e não apenas no Brasil, mas em todo o mundo.

Durante o experimento, 3 mulheres usaram o “vestido inteligente” para uma boate em São Paulo.

Créditos da imagem: Ogilvy

Toda vez que as três voluntárias – Juliana, Tatiana e Luisa – foram apalpadas no boate, um sinal do vestido foi enviado por Wi-Fi para os pesquisadores. É desnecessário dizer que as mulheres foram tocadas inúmeras vezes durante o experimento, mesmo quando expressaram sua desaprovação.

De acordo com os dados coletados, as voluntárias, em menos de quatro horas, foram tocadas 157 vezes!

Créditos da imagem: Ogilvy

Isso é igual a ser tocado mais de 40 vezes por hora! No final do vídeo, depois que a noite acabou, os homens do clube foram convidados a assistir as filmagens do experimento. Felizmente, eles pareciam realmente chocados com o que aconteceu no clube: “Isso é tão ridículo”, comentou um homem. O outro ficou chocado ao ver que um estranho estava tentando se inclinar para um beijo com uma das mulheres.

Assista ao comercial completo sobre o qual Schweppes e Ogilvy colaboraram:

Título: O vestido para o respeito / Cliente: Schweppes / Escritório: @OgilvyBrasil

Via: Bored Panda

Compartilhe, se você curtiu esse post!

Simple Share Buttons