Artista têxtil passa 520 horas reimaginando o mapa do mundo como um tapete gigante

A artista têxtil portuária Vanessa Barragão é conhecida pela sua arte têxtil inspirada na natureza que celebra a beleza dos ecossistemas do mundo. Sua última peça, intitulada Tapeçaria Botânica, é a sua maior até hoje e representa não apenas parte da paisagem da Terra, mas todo o mapa do mundo.

A tapeçaria de 6 metros de largura foi desenvolvida para comemorar a parceria entre o Aeroporto de Heathrow, em Londres, e o Kew Gardens. Instalado na área de embarque do Terminal 2 do aeroporto, os hóspedes que percorrem o globo podem admirar como Barragão visualizou nossos oceanos e pousa em fios coloridos. A impressionante peça artesanal levou 520 horas para tecer e compreende 8 kg (18 libras) de juta e algodão e um colossal 42 kg (93 libras) de lã reciclada. “Esta foi a maior obra de arte que já criei”, diz. “Espero que todos possam entender a mensagem presente nesta obra, o mundo pertence a todos e temos que preservá-lo.”

Vanessa usou muitas técnicas tradicionais para obter a variação de textura, incluindo gancho de trava, agulha de crochê e feltro. O artista revela: “Há visíveis todas as cores presentes em nossos continentes e oceanos e algumas espécies ameaçadas como os recifes de corais e algumas plantas ao redor do mundo.” Enquanto os desertos da Austrália e da África são retratados em tons quentes, baixa pilha Tece, as exuberantes florestas tropicais da América do Sul são feitas em franjas desgrenhadas em vários tons de verde. Os oceanos têxteis circundantes apresentam estruturas de crochet tridimensionais, representando recifes de coral.

Role para baixo para conferir imagens da impressionante Tapeçaria Botânica de Barragão e encontre mais de seu trabalho em seu site.

A última peça da artista têxtil Vanessa Barragão, Tapeçaria Botânica, representa o mapa do mundo.

A tapeçaria de 6 metros de largura foi desenvolvida para comemorar a parceria entre o Aeroporto de Heathrow, em Londres, e o Kew Gardens.

A impressionante peça artesanal levou 520 horas para tecer.

 Barragão usou muitas técnicas tradicionais para alcançar a variação de textura que representa nossas diversas terras e oceanos.

Via: My Modern Met

Compartilhe, se você curtiu esse post!

Copied!